Tereos Menu Search

O Grupo Cooperativo açucareiro Tereos transforma matérias-primas agrícolas em açúcar, álcool e amido.

04 fevereiro 2019
10 coisas que você deve saber sobre o álcool!

Graças ao seu know-how único, a Tereos é um dos mais importantes players do setor do álcool. Descubra as 10 coisas que você deve saber sobre este produto muitas vezes desconhecido!

 
 

1. O álcool é uma função química. Existem diversos tipos, como o etílico ou o metílico. A Tereos produz álcool etílico de origem agrícola, também conhecido como “etanol”, resultante do processo de fermentação.

 

2. É possível fabricar álcool a partir de inúmeras matérias-primas vegetais, desde que elas contenham açúcar (frutas, beterraba, cereais, cana-de-açúcar). A vodca, por exemplo, pode ser fabricada com substratos de batata, trigo ou beterraba. A Tereos Açúcar França fabrica álcool a partir de substratos de açúcar e de amido.

 

3. Essa produção de álcool alimenta principalmente dois mercados: o do biocombustível e o de usos tradicionais. Entre os usos tradicionais, estão o álcool para bebidas, também chamado de “destilado”, e os usos industriais, como a perfumaria, a farmácia, a indústria química e os aromas.

 

4. O processo de fabricação do álcool para usos tradicionais envolve uma etapa de fermentação, que permite obter um primeiro líquido chamado “vinho”. Em seguida, vem a etapa da destilação: esse vinho é destilado em álcool bruto (92%), chamado “fleuma”. Esse álcool bruto é, então, submetido a uma operação de retificação, que serve para eliminar as impurezas e obter um álcool o mais puro possível: trata-se do “álcool hidratado”, que tem uma concentração de 96,3%, é translúcido e incolor.

 

5. O “álcool hidratado” pode também ser desidratado. Ele passa a ter uma concentração de 99,9% e é chamado de “álcool anidro”. O álcool anidro é principalmente usado em cosméticos e aerossóis, como desodorantes ou desodorizantes.

 

6. Para produzir biocombustível, a matéria-prima é fermentada, depois destilada, resultando num álcool bruto com 92% de concentração, chamado “fleuma”, e, por fim, desidratado. O etanol não contém água e pode, então, ser usado como combustível, chamado de “bioetanol”.

 

7. Na França, O E90, o E85 e o E10 são os biocombustíveis vendidos nos postos de abastecimento. O etanol pode ser adicionado puro à gasolina até um teor de 10%. O Sem Chumbo 95 e o Sem Chumbo 98 contêm, em vez disso, 5% de etanol.

 

8. A Tereos produz álcool de origem agrícola em diversas unidades de produção: Artenay, Bucy, Lillers, Morains, Nesle e Origny, na França (vinculadas a usinas de açúcar); Dobrovice e Kojetin, na República Tcheca (produção de álcool de beterraba); Saluzzo, na Itália; Selby, na Grã-Bretanha; e Aalst na Bélgica (produção de álcool de cereais). As unidades do Brasil produzem exclusivamente álcool de biocombustível.

 

9. A denominação “álcool forte” é enganosa. A molécula de álcool etílico é idêntica, independentemente da bebida alcoólica. Assim, o álcool contido em bebidas destiladas não é mais forte que em outras bebidas alcoólicas (vinho, cerveja etc.). Apenas o grau de destilação modifica o título alcoométrico (que é obrigatoriamente indicado nos rótulos).

 

10. No que diz respeito às bebidas alcoólicas, as calorias de uma taça de vinho ou de um destilado provêm da molécula de álcool (que varia conforme o grau alcoólico). Depois, são determinadas em função dos açúcares presentes no produto final, do processo (vinhos licorosos ou creme de frutas) ou de ingredientes acrescentados quando do consumo (por exemplo, sodas ou suco de frutas em um coquetel).

 

Veja (em inglês) o processo de fabricação do álcool da Tereos em imagens!

Saiba mais

Estratégia: Entrevista, Horizonte 2017
Construir relações fortes e duradouras
Contribuir para uma alimentação segura
Às origens de um grupo cooperativo francês